O Filho Pródigo, o Arrependimento e o Amor do Pai

O Parábola do Filho Pródigo é uma das mais belas passagens que podemos encontrar no evangelho de Lucas. Dá-nos uma ilustração do materialismo, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza, fraqueza. desculpe e redenção, assim como uma grande lição de amor.

A misericórdia, como Cristo nos apresentou na parábola do filho pródigo, tem a forma interior de amor, que na Novo Testamento é chamado de ágape. Com esta parábola, Jesus mostra aos fariseus e doutores da lei que um pecador arrependido é mais importante para Deus do que um grupo que se sente justo. A Bíblia diz que há alegria no céu quando um pecador se arrepende.

O Filho Pródigo, o Arrependimento e o Amor do Pai 1

A História da Parábola

Lucas se concentra na misericórdia de Deus para com os pecadores, e o faz com três parábolas: a ovelha perdida, a moeda perdida e o filho perdido.

Lucas 15:1-3 Naquele tempo, todos os cobradores de impostos e pecadores costumavam vir até Jesus para ouvi-lo. E os fariseus e os escribas murmuravam entre si: "Ele acolhe os pecadores e come com eles".

Jesus est√° rodeado, por um lado, por cobradores de impostos e outros pecadores, e, por outro, por fariseus e mestres da Lei. O primeiro aproxima-se de Jesus para ouvi-lo, o segundo para criticar a sua abordagem aos pecadores.
Jesus prop√Ķe uma par√°bola na qual aparecem tr√™s personagens, um pai e seus dois filhos, cada um representando uma personalidade real: os pecadores, os mestres da lei e o pr√≥prio Jesus.

O pai era um homem rico, que tinha trabalhado arduamente toda a sua vida para acumular grandes riquezas, t√£o grandes que mesmo quando o filho mais novo lhe pediu para entregar a sua parte da heran√ßa, ele ainda tinha uma abund√Ęncia de bens. Ele era um homem generoso, pois os oper√°rios nunca faltavam para nada e tinham p√£o em abund√Ęncia.

No filho mais novo vemos o filho que foi educado com princ√≠pios e consejos Esta educa√ß√£o ser√° notada quando depois do sofrimento e da fome, produto da sua m√° cabe√ßa, vem a tristeza e a culpa por ter falhado com o seu pai, e apesar disso, ele toma muitas m√°s decis√Ķes. O filho mais velho foi educado como o mais novo, com sabedoria e cuidado, ensinado a trabalhar e a gerir a riqueza. Este filho, embora tenha sido obediente e n√£o tenha feito nada para fazer o seu pai sofrer, ter√° de aprender uma grande li√ß√£o.

Ambos os filhos s√£o maus, a vida dissoluta do filho mais novo √© mencionada em sua maioria, mas a situa√ß√£o n√£o menos grave do filho mais velho √© negligenciada. O filho mais novo, porque se afasta do pai e esbanja boa parte do patrim√īnio familiar, com uma clara atitude de irresponsabilidade, seus pecados eram mais evidentes, embriaguez e fornica√ß√£o. O filho mais velho, porque, apesar de ficar perto do pai, despreza o irm√£o mais novo e n√£o quer partilhar com ele, os seus pecados foram os orgulho e orgulho.

Ambos têm maus sentimentos, com um coração doente, cheio de orgulho e vingança. Mas há uma diferença marcante entre os dois: enquanto o filho mais novo é capaz, movido pela fome e pela necessidade, de se dar conta da situação em que se encontra, o mais velho é incapaz de o fazer por causa da sua auto-suficiência.

O pai √© o personagem central, respeita as reivindica√ß√Ķes do filho mais novo e deixa-o fazer o que quer, mas depois, quando o v√™ regressar, fica emocionado, sai ao seu encontro e refaz-lhe a dignidade de filho e herdeiro. Mas ele tamb√©m tem que sair para encontrar o irm√£o mais velho que n√£o quer entrar na casa, e ele √© levado a refletir.

Arrependimento

O ensinamento central desta passagem é o comportamento e a atitude do pai, é aqui que começa a grande lição de amor que Jesus quer comunicar (Lucas 15, 20-25).

Ele se levantou e foi ter com seu pai; enquanto ele ainda estava longe, seu pai o viu e ficou comovido at√© as l√°grimas; e correu e se jogou ao pesco√ßo de seu pai e o beijou. Seu filho disse-lhe: "Pai, eu tenho pecado contra o c√©u e contra ti; j√° n√£o mere√ßo ser chamado teu filho".¬†Mas antes que o menino tivesse terminado de falar, o pai chamou os criados e disse: "Depressa! Traga as melhores roupas e vista-o, ponha-lhe um anel, e sand√°lias tamb√©m. Ponham-lhe um anel e sand√°lias tamb√©m. Matem o bezerro mais gordo e vamos fazer um grande banquete, pois o meu filho voltou! √Č como se ele tivesse morrido, e ele voltou √† vida. Ele estava perdido e n√≥s encontr√°mo-lo. "E o banquete come√ßou.

O filho arrependido vai para o pai, mas no final é o pai que corre para o filho, movido pela emoção interior, essa agitação interior que se torna um impulso para procurar, para buscar misericórdia, uma vez que o filho nunca deixou o seu coração, tal como um mãe carrega a criança no ventre.

Misericórdia, piedade e compaixão reconstruem a vida do outro:

1) O pai que corre ao encontro do filho primeiro o abra√ßa, o pai se humilha mais do que o pr√≥prio filho.Sem esperar explica√ß√Ķes, ele n√£o pede purifica√ß√£o pr√©via, nem se distancia, mas, pelo contr√°rio, √© movido por uma grande e imensa proximidade, por mais sujo que seja, pois √© simplesmente seu filho e voltou.

 2) Beija-o.Sendo este ato a expressão do perdão paterno, é de se notar que perdão é oferecido antes da confissão de arrependimento do filho.

 3) Ele envia-a para vestir o melhor vestidoCom esta ação, o pai restaura sua dignidade de filho e confirma seus antigos privilégios, o velho vestido, seu passado, suas experiências são deixados para trás, não é necessário saber o que o motivou a tomar esta atitude.

¬†4) Ele envia-o para colocar no anel.√Č um gesto estranho para um filho que desperdi√ßou dinheiro, mas √© um sinal de confian√ßa renovada, devolve-lhe a responsabilidade de administrar a propriedade.

5) Ele manda-o calçar sandálias.Era um privilégio dos homens livres, mesmo numa casa que só o proprietário, não os hóspedes, os levava, este gesto é uma recusa delicada ao filho que ia pedir para ser tratado como operário.

 6) Ele tem o melhor boi abatido.O mais gordo e melhor alimentado, o animal mais cuidado, que foi reservado para alguma celebração importante na casa, um presente reservado, este era o momento, era uma ocasião especial, um extra que Deus dá e pede.

7) Chama uma festa, A alegria parece desproporcionada, mas o pai explica a razão, o grande valor da vida do filho, a misericórdia, que se manifesta com alegria.

Por outro lado, o filho mais velho confronta o pai. "Agora que esse seu filho est√° voltando, depois de desperdi√ßar todo o seu dinheiro, voc√™ tem dinheiro com prostitutas, voc√™ mata para ele o bezerro mais gordo!"O orgulho do filho mais velho √© vis√≠vel aqui: seu filho, de forma depreciativa, n√£o disse meu irm√£o, talvez o considere moralmente baixo demais para ser chamado de irm√£o. Da abund√Ęncia do cora√ß√£o a boca fala, diz a B√≠blia e este filho mostra sua √ļnica preocupa√ß√£o: o bem material desperdi√ßado. Ele n√£o pergunta se seu irm√£o est√° bem, ele s√≥ se preocupa com o capital perdido. O pai ent√£o o faz ver que tudo o que ele tem lhe pertence, porque ele tem sido obediente e leal. Mas seu irm√£o est√° vivo novamente e isso merece ser comemorado.

O Amor do Pai

Misericórdia, amor A atitude do pai em relação aos seus filhos nesta parábola quebra o molde do comportamento humano; seria difícil para nós fazer o que ele faz. Por isso ele é a imagem de Deus, o Pai misericordioso, pronto para sair ao encontro de todos, porque todos nós somos pecadores e necessitamos da misericórdia de Deus. perdão de Deus.

√Č um convite a celebrar o sacramento da Reconcilia√ß√£o e a colocar a nossa vida pecaminosa nas m√£os do nosso Pai celestial, rico em perd√£o. Aqueles que cumprem a lei recebem o que lhes foi prometido, n√£o por m√©rito, mas por gra√ßa, mas primeiro devem ser capazes de sentir amor e demonstrar miseric√≥rdia. Os escribas e fariseus estudaram a lei e a guardaram, mas Jesus profetizou que a casa deles lhes seria tirada. A raz√£o: dureza de cora√ß√£o.

O perdão de Deus vem para todos que querem aceitá-lo, mas você tem que entrar na casa do pai. Senhor, ajuda-me a voltar para ti todos os dias, como o filho pródigo fez.

Meditação

Jesus nos exorta a nunca parar na superfície das coisas, especialmente quando estamos na frente de uma pessoa. Somos chamados a olhar para além, a focar no coração para ver quanta generosidade cada um de nós é capaz de ter.

Ninguém pode ser excluído da misericórdia e amor de DeusA Igreja é a casa que acolhe a todos e não rejeita ninguém. As suas portas permanecem abertas, para que aqueles que são tocados pela graça possam encontrar a certeza do perdão.

Quanto maior o pecado, maior deve ser o amor que a Igreja expressa por aqueles que se arrependem e se convertem. Como Jesus nos olha com amor, como Ele cura amorosamente os nossos cora√ß√Ķes pecadores! Jesus nunca tem medo dos nossos pecados.

Este website utiliza cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de utilizador. Se continuar a navegar, está a dar o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e para a aceitação dos nossos política de cookies

ACEITO
Aviso de Bolacha
pt_PT